quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Análise do gabinete Mini-ITX Spire PowerCube SPM210B, indicado para HTPC e NAS


O Spire PowerCube SPM210B é um pequeno gabinete com suporte a placas-mães Mini-ITX, fontes SFX e gravadores de DVD/BluRay de formato padrão. Esse conjunto de características faz do SPM210B uma solução ideal para a montagem de um home theater PC (HTPC) ou network-attached storage (NAS). Como recentemente adquiri um desses gabinetes, tentarei oferecer aos interessados uma análise (review) para ajudar a descobrir se ele é realmente a melhor opção nesses casos.


Especificações


Com o passar do tempo e o avanço da tecnologia, parece cada vez mais fora de propósito aceitar aquelas exageradas torres ATX em cima (ou embaixo) da sua mesa. Surge, então, um interesse crescente por componentes que façam uso mais eficiente do espaço, muitas vezes pequeno.

As especificações contidas na página do produto são honestas e puderam ser verificadas no exemplar adquirido.

Dimensões 345x135x220mm (P x L x A)
Material Estrutura: SGCC 0.6mm; painel frontal: ABS
Cores Piano black
Baias 3,5" 2: 1 interna, 1 externa
Baias 5,25 1 externa
Placa-mãe Mini-ITX
Alimentação Fonte SFX inclusa (SFX-300W-PFC-PSU)
Conexão frontal do painel USB 2.0 x2, fone de ouvido x1 , microfone  x1 (suporte a AC'97 & HD Audio)
Refrigeração furos de ventilação na lateral*

* Apenas a lateral direita do gabinete é vazada; a lateral esquerda é totalmente fechada, o que não fica evidente pelas fotos e foi uma desagradável surpresa quando abri a caixa...

Exterior

Visão do exterior.

Quanto ao exterior, o SPBM10B tem na sua cor black piano um toque um pouco ultrapassado; preto fosco seria uma escolha bem melhor. A entrada da baia de CD/DVD é fechada por uma porta, que é totalmente desnecessária e dá a impressão de fragilidade. Os conectores frontais também ficam protegidos por uma porta.

As dimensões não são tão compactas quanto eu esperava, mas ainda assim são bastante reduzidas.

Interior


Visão do interior do PowerCube, com a fonte na parte traseira superior.

O interior do SPM210B apresenta um espaço reduzido, que poderia não ser um grande empecilho não fosse o mau aproveitamento. Para começar, o compartimento para instalação frontal do disco rígido de 3,5" precisa ser encaixado embaixo do drive de 3,5", deixando um espaço razoável entre a base do gabinete e o suporte, suficiente para instalação de outro HD. Porém, isso seria complicado pelo fato de os cabos que conectam o painel frontal à placa-mãe serem curtos e precisarem passar por baixo do suporte do HD.

Na parte lateral direita há espaço para mais um disco rígido de 3,5", que entretanto cobriria quase que completamente os orifícios laterais de respiro, dificultado ainda mais a já precária ventilação do SPM210B. Nos meus testes, a instalação de um HD na baia destinada ao drive externo de 3,5" seria difícil sem modificações na estrutura do gabinete, o que o torna uma opção muito abaixo do ideal para montagem de um NAS.

A boa notícia é que o espaço lateral disponível para instalação de um HD também comporta uma ventoinha de 120x25mm, que pode ser uma solução para o fluxo de ar no interior. Ainda não instalei uma ventoinha nesse local, mas os relatos em fóruns da internet confirmam essa possibilidade.

 Fonte

Imagem traseira do gabinete, mostrando a fonte.

A fonte distribuída com o SPM210B merece ser considerada à parte, não pelo seu desempenho, mas sim pelo barulho desagradável que produz. Num ambiente silencioso, é ela que mais incomoda, por fazer um ruído como se a ventoinha de 8mm estivesse encostando ou se arrastando em algo. Minha recomendação é adquirir uma fonte melhor em separado, ou partir para outro gabinete.

Conclusão


Apesar das falhas de projeto, esse compacto gabinete se mostra atraente pelo baixo custo. Porém, leve em consideração que se desejar adquirir uma fonte à parte o preço do conjunto pode até mesmo dobrar. O SPM210 é uma ótima opção para um HTPC ou PC compacto, mas o pequeno número de HDs suportados o inviabiliza para um NAS.

2 comentários:
  1. Realmente analizando com atenção os erros de projeto nesse gbinete o tornal uma escolha pouco provável. Também é importante citar a ausência do botão de reset. Acaba sendo uma opção tolerável só pra se usar aquelas placas mini-ITX bem fracas, com processador integrado e menos carentes de ventilação, que com certeza é um problema nesse gabinete.
    Seria bom se investissem em projetos de gabinetes para placas mini-ITX mais poderosas.

    ResponderExcluir
  2. GIGABYTE Z87N-WIFI (Intel Z87) Mini-ITX

    ResponderExcluir

Sua opinião é bem-vinda!